A busca interna do site: 4 coisas que você precisa saber

O Google desenvolveu o mais complexo algoritmo para satisfazer as necessidades dos usuários em uma busca. Consegue entender erros ortográficos, combinações de palavras, frases, sinônimos, etc. Disponibiliza uma descrição, detalhes de produto (preço, reviews), detalhes de uma pessoa, empresa e muito mais. Quando o usuário visita um site, ele já foi treinado para realizar pesquisas e possui algumas expectativas em relação a busca do site, então porque o site não pode ter um desempenho tão bom quanto o Google? E não me refiro a instalar a caixa de busca do Google, pois não oferece a melhor experiência dentro do site.

Vamos entender alguns conceitos:

1 – A busca interna

É um mecanismo de busca disponível dentro do próprio site no intuito de proporcionar uma boa experiência do usuário, onde ele rapidamente poderá encontrar o que deseja, e gerar insumos para entender melhor o comportamento dos visitantes no site.

Busca interna do nosso site

A importância da busca interna

Muitos testes de usabilidade realizados provam que os usuários vão direto para a caixa de busca quando a navegação do site não fornece informação clara ou intuitiva daquilo que ele está procurando. No livro “Não me faça pensar”, Steve Krug diz:

“Afinal, por que eu teria de pensar em como quero realizar a pesquisa? E, pior ainda, porque eu deveria pensar em como o mecanismo de pesquisa do site quer que eu coloque a questão.”

Ele também menciona algumas pontos que os visitantes de um site não deveriam perder tempo pensando:

  • Onde estou?
  • Onde devo começar?
  • Onde eles colocaram o ____?
  • Quais as coisas mais importantes nesta página?
  • Porque eles deram esse nome a isto?

Devemos compreender o princípio básico de eliminar as perguntas.

Como ter uma busca capaz de atender as necessidades dos usuários?

Segue algumas dicas:

  1. Tenha certeza que a caixa de busca está visível
  2. Forneça uma descrição do resultado
  3. Utilize a mesma lógica dos usuários
  4. Considere erros ortográficos
  5. Permita ao usuário filtrar/ refinar a busca. Ex: por categoria
  6. Permita ao usuário saber que o que procura não pode ser encontrado. Não engane o usuário, pois perderá a credibilidade do sistema.

2 – Parâmetro de busca

É uma variável onde atribuímos valores, em nosso caso, termos de busca. Esse parâmetro é exibido na URL e a cada nova consulta ele cria uma URL diferente contendo a pesquisa do usuário. O parâmetro de busca geralmente é representado pelas letras q (query) ou s (search), mas você encontra sites que o nomeiam de outras formas, como busca, p (pesquisa), etc.

3 – Indexação da busca interna

Os mecanismos de busca indexam as páginas dos resultados de busca interna, adicionando várias páginas com o mesmo conteúdo no índice. Grandes sites costumam ter várias páginas iguais/ semelhantes indexadas.

Agora, isso é bom? Depende.  Se o seu objetivo é ter o máximo possível de páginas indexadas , esse é o caminho, porém dificilmente o mecanismo de busca conseguirá focar na indexação/ atualização das principais páginas. Imagine a quantidade de combinações que podem ser feitas em uma busca: pendrive kingston, kingston pendrive, kingston, etc.

Considere o que a ex-funcionária do Google Vanessa Fox disse a respeito desse assunto:

“Typically, web search results don’t add value to users, and since our
core goal is to provide the best search results possible, we generally
exclude search results from our web search index. (Not all URLs that
contains things like “/results” or “/search” are search results, of
course.)”

Em outras palavras, se a página não agrega valor ao usuário ela não deve ser indexada.

Possuir  varias páginas com conteúdo duplicado, faz com que o mecanismo de busca escolha uma das versões para exibir aos usuários, podendo ser uma página não desejada, além de diminuir a qualidade do site na visão do Google, correndo o risco de perder posicionamento. O Google tem lançado diversas atualizações no índice para melhorar os resultados de busca e priorizar sites que seguem suas diretrizes de qualidade. Devemos ficar atentos!

4 – Tenho varias páginas de busca indexada, o que devo fazer?

Se a página de busca possui um número considerável de tráfego, crie uma tag canônica para a página de categoria, transferindo o valor dessa página para a versão correta.

<link rel=”canonical” href=”versão correta” />

Adicione a meta-tag noindex nas demais páginas . Utilizamos o “follow” para permitir que o robô ainda possa seguir os links e distribuir relevância.

<meta name="robots" content="noindex, follow" >

Bloqueie o parâmetro de busca no arquivo robots.txt.

User-agent: *
Disallow:*?s=

Conclusão

Devemos pensar sempre no usuário na criação de conteúdo para alcançar os melhores resultados e não criar páginas aleatórias, sem objetivo claro.

Faça uma análise da busca interna do site para identificar categorias que ajudariam o usuário a encontrar mais rápido o que precisa.

Siga o guia de boas práticas do Google para melhorar a indexação,  posicionamento e tráfego.

Referências:

KRUG, STEVE. “Não me faça pensar – Uma abordagem de bom senso à usabilidade na web”. Rio de Janeiro: Alta Books, 2006.
http://www.mattcutts.com/blog/search-results-in-search-results/
http://support.google.com/webmasters/bin/answer.py?hl=pt-BR&hlrm=en&answer=35769

"O importante não é só prever o futuro, mas identificar no presente o q vc não previu." Stephen Kanitz Área: SEO Local: São Paulo Especialidade: Web

9 Responses so far.

  1. E pare de usar ferramenta de palavra chave quando o usuário te entrega tudo que quer saber ali, no seu relatório de buscas internas, né?

    Como vocês veem CSEs sendo configuradas para realizar buscas em outros sites também?

    Valeu

    Klaus

    • Andressa Lima Andressa Lima says:

      É bem interessante essa questão Klaus, porque poucas pessoas se preocupam em analisar a busca interna do site.

      Não sei se entendi corretamente a sua pergunta sobre CSEs, mas considero um erro configurar um CSE para realizar buscas em outros sites.

      Obrigada pelo comentário! :)

  2. Andressa,

    Parabéns pelo artigo, muito bom, detalhado e didático!

    Você aconselha o uso da própria busca no caso de um WP como aqui ou a busca do Google para sites?

    • Andressa Lima Andressa Lima says:

      Olá Eduardo! Muito Obrigada! Fico feliz que gostou, mas vamos a sua pergunta.

      A busca do WP não é boa, então no caso recomendo que seja substituída. Existem alguns plugins:

      http://wordpress.org/extend/plugins/search-everything/
      http://wordpress.org/extend/plugins/wordpress-sphinx-plugin/

      A busca do Google gratuita (CSE) possui anúncios e dependendo da situação/caso não é legal e também temos a busca do Google paga (GSS), porém precisará estar bem configurada. Pense que na busca interna é importante ter um bom controle tanto dos resultados que aparecem (relevância) quanto da sua apresentação (ordenação, layout, opções adicionais), estes atributos devem ser considerados no momento da escolha do mecanismo. Por fim, temos a ferramenta própria, desenvolvida internamente pela empresa, onde você terá um poder para definir a relevância, fazer o mecanismo de busca identificar um produto através de uma consulta por características de um produto por exemplo, porém exige um esforço maior.

      Espero ter ajudado! :)

  3. Sabe que acho até bacana buscar em outros sites? Para redes de sites parceiros, imagina se não e uma coisa bacana… Conversei com alguns SEOs de calibre e soube que o alg que rege o ranking das CSEs é completamente outro, nada a ver com o de busca orgânica. O que me intriga é saber se o CTR nas serps de busca interna ajudam de alguma forma, pois vem acompanhados de ads, né… valeu pelo conteúdo, tem mais? BJ K

    • Andressa Lima Andressa Lima says:

      Oi Klaus,

      Gostei do tópico. O que eu penso sobre isso é que não podemos esquecer da experiência do usuário no site, pois seria frustrante para ele estar navegando em um site e perceber que fez uma busca e acabou saindo do ambiente em que estava. Acredito que o propósito de um site não é levar o usuário para fora dele e sim fazê-lo explorar seu conteúdo. A busca e navegação devem ser pensadas de maneira integrada, porque os usuários usam-nas como estratégias complementares.

      hehehehe Vou tentar escrever mais!:D

      Super Obrigada por comentar! :)

  4. jonas klein says:

    Olá Andressa muito bom o seu artigo parabéns, ter num site uma caixa de pesquisa bem posicionada e que seja funcional sempre é algo muito importante, agora só o que eu não entendo é como tem donos de sites que parecem não saber disso.

    Um grande abraço

  5. Leomar junio says:

    Ótimo post, parabéns.
    Gostaria de tira uma duvida: É melhor usar o Method Post ou GET na busca? Seu eu usar o POST não estarei mudando minha url, isso os mecanismos de Busca iriam mesmo assim indexar minhas paginas de pesquisas ?

    Obrigado pela a atenção e passar bem !

  6. Gerson says:

    O mecanismo de busca interna funciona em páginas protegidas? Pergunto, porque tenho no site um mecanismo disponibilizado pela freefind.com que funcionava muito bem quando as páginas eram livres. Quando fiz a proteção, as mesmas não aparecem mais no resultado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>