A Importância dos Dashboards no Monitoramento de Crises

 

O monitoramento de crises tem mostrado sua importância vital para as organizações há alguns anos. Como já sabemos, poucas conversas negativas sobre a marca já podem ser suficientes para que a imagem institucional seja abalada, algumas vezes com uma reparação difícil e longa.

Para realizar o trabalho de acompanhamento, precisamos de uma equipe com o conhecimento profundo do cliente, que seja capaz de visualizar os parâmetros possíveis do início de uma crise. A identificação, organização dos dados e reação rápida são necessidades.

Com uma ferramenta adequada, bases automatizadas e padrões preestabelecidos, a equipe pode se certificar de trabalhar em cima dos dados obtidos em tempo hábil para reverter ou amenizar uma crise.

E qual seria a importância dos Dashboards nesse cenário?

O Dashboard é definido como um painel de dados transformados em informação visual, facilitando a identificação de tendências e padrões. Eles são construídos através de KPIs (Key Performance Indicators) definidos previamente e, ao adicionarmos a atualização em tempo real, ou o mais rápido possível, temos uma maneira simples e intuitiva de acompanhar os assuntos de interesse.

Quando uma crise encontra-se iminente, as KPIs fornecidas indicarão, de maneira visual no Dashboard,  qualquer anormalidade no buzz diário sobre determinado assunto. Com  isso, torna-se possível identificar, em poucos minutos, as causas de oscilações no volume normal, tanto para cima quanto para baixo, a sua geolocalização, a mídia social mais utilizada, os horários de maior pico, as palavras mais usadas, os usuários de maior destaque e sua importância para o assunto etc.

Com a informação organizada visualmente, é fácil notar mudanças, sejam elas pequenas ou grandes, e acionar as áreas exigidas para a resolução da crise específica.

Existem diversas ferramentas que se dedicam a atender esta demanda, facilitando a criação e atualização constante dos Dashboards. Para gráficos sem grande complexidade e cruzamento de inúmeros dados, é possível, com conhecimentos básicos de programação, construir um Dashboard. Porém, para visualizações mais complexas, este conhecimento pode ser mais exigido. Com a automatização dos processos, é possível cria-los usando planilhas do Google Drive e dados do Google Analytics, como podemos ver nesse tutorial, publicado no blog do Google Analytics.

Porém, o grande trunfo dos Dashboards no monitoramento de crises é a atualização em real time. Ferramentas já trabalham com updates dos dados a cada meia hora como padrão, porém, pode ser programado para atualizações a cada minuto, garantindo a precisão dos dados visualizados.imagem 1

Algumas ferramentas também dão a possiblidade de baixar os dados necessários e realizar análises que podem proporcionar a contenção e até mesmo a erradicação de uma crise proeminente. No exemplo a seguir, temos um Dashboard mostrando KPIs relacionados a marketing digital, como volume diário de menções, tom das referências (positivo ou negativo), popularidade, autores de maior impacto potencial e gênero dos autores.

blog

Os Dashboards, apesar de auxiliarem imensamente na monitoração de crises, sozinhos não são suficientes. Sempre será necessária a inteligência humana para ir mais a fundo, explorar os dados e tomar a decisão mais correta em relação a uma crise visualizada em seus painéis. Para saber mais sobre gestão de crises, veja este post aqui. Caso queira saber mais sobre Dashboards e sua utilidade na inteligência digital, entre em contato através de comercial@dp6.com.br.

Jaqueline Bragatti de Oliveira

Área: Social Intelligence Especialidade: Relações Públicas e monitoramento de crises

Jaqueline Bragatti de Oliveira

Author Jaqueline Bragatti de Oliveira

Área: Social Intelligence Especialidade: Relações Públicas e monitoramento de crises

More posts by Jaqueline Bragatti de Oliveira

Join the discussion One Comment

  • Felipe Perestrelo disse:

    Bom post. 🙂

    Recentemente pesquisei algumas ferramentas de dashboard para um cliente, uma startup de comércio eletrônico, e gostaria de compartilhar minhas conclusões. Sei que o foco do post é Social, mas acredito que possa ajudar. (Obs: Não estou relacionado comercialmente a nenhuma ferramenta de dashboard, e o objetivo do post é apenas dar informações úteis a quem precisar)

    Precisávamos de uma solução barata e de fácil integração. Das cerca de 10 soluções que avaliei 3 foram as finalistas: Google Spreadsheets, Cyfe e Geckoboard.

    A solução com Google Spreadsheet entrou na lista final por ser grátis. De fato ela é interessante, o Add-On do GA funciona bem, porém foi descartada logo no início pois a maior parte de nossos relatórios é construída com dados externos e precisaria de um volume relativamente pesado de desenvolvimento.

    As outras duas soluções cumpriam com os dois pré-requisitos.

    A Cyfe tem um plano grátis com limite de 5 widgets (relatórios), e um plano sem limites de widgets e dashboards por cerca de 50 reais mensais. Geckoboard não tem plano grátis, apenas um trial, e o plano que nos atendia custava 150 reais mensais. Eles também tem um plano básico no mesmo custo que a Cyfe, porém tem limite de espaço.

    Ambas tem integração externa simples, tendo soluções diversas como API, disponibilização um link externo com um CSV, etc. Além disso elas tem integração “nativa” com diversas ferramentas do mercado, como WordPress, Alexa, Salesforce, Mailchimp, Facebook, Google Analytics, ZenDesk, etc. São dezenas, algumas só tem no Cyfe, e outras só no Geckoboard, e a Cyfe tem uma ligeira vantagem no nosso caso pois tem um widget de monitoramento de posicionamento de palavras-chave para SEO.

    Além dos dois pontos, na parte gráfica a Cyfe leva vantagem novamente, pois seus dashboards e widgets não tem limite de tamanho, ao contrário da Geckoboard, na qual ambos tem.

    Fomos com a Cyfe. Não posso dar maiores detalhes do dia a dia pois estamos em fase de implantação, mas acreditamos que será uma excelente solução.

Leave a Reply