Mesmo sem perceber, utilizamos o JavaScript todos os dias, já que ele está presente nos sites que visitamos diariamente. Normalmente, é colocado perfeitamente dentro de um código, de tal forma que não podemos vê-lo. Porém, ele também pode ser passado como um arquivo: assim como é possível anexar um documento do Word, imagens .JPG, ou um .PDF para um e-mail, também podemos anexar um arquivo .JS.

Algumas vezes, as pessoas que fazem isso podem ser programadores que precisam compartilhar códigos uns com os outros. Outras vezes, podem ser criminosos que estão tentando fazer alguma vítima na web.

Sendo assim, o Google tomou a decisão de começar a bloquear anexos JavaScript no Gmail. Quem realmente precisar compartilhar um código JavaScript, pode fazer isso de outras maneiras – por meio do Google Drive, Pastebin ou GitHub, por exemplo.

No ano passado, tornou-se muito comum ações de ransomware através de anexos JavaScript. Agora, mesmo se esses arquivos estiverem ocultos dentro de um .ZIP compactado, o Gmail ainda os bloqueará. A intenção do Google com isso é dificultar ações criminosas, aumentando, consequentemente, a segurança dos usuários do Gmail.  

Notícia completa no site da Forbes.

Mariana Lemos

Trainee na área de Digital Analytics.

Mariana Lemos

Author Mariana Lemos

Trainee na área de Digital Analytics.

More posts by Mariana Lemos

Leave a Reply